quinta-feira, 23 de julho de 2009

« DIVAGANDO »

Sylvia Cohin

Pelas mãos de Urano ungida
E abençoada por Geia,
Eu sigo o Aceno da Vida
Rumo à minha Odisseia...

Sob o enlevo da emoção
Que me arrepia de espanto,
Dispara meu coração
E embarga a voz o meu canto

Nos olhos reflito a lua
Dividida em hemisférios
Que sorrindo seminua,
Me assombra com seus mistérios

Os alísios que me embalam
Rumo ao Norte a flutuar,
Para o amor, alas me abram
Sobre o galeio do mar!

Na aflição que me domina,
Mal consigo esvoaçar
E entre bacante e menina,
Prossigo, quero avançar!

E assim tecido meu Céu,
O Arco-íris minha estrada
E essa coragem fiel,
Pelo Olimpo bem-fadada

Pra seguir como encantada,
Afinal, ao lado teu...
E o mundo não era nada.
Éramos nós... Tu e Eu!

Se foi sonho ou se vivi,
Na verdade pouco importa;
No arcobaleno eu me vi,
Quando o Amor abriu a porta.

SYLVIA COHIN

Brasil, 12.02.2004

2 Comments:

Anonymous Rosa Peixoto said...

Ma trés chere Syl
"Quand ´L'AMOUR a ouvert la porte"
Tu es entrée
Jouissant de cet'AMOUR tu y es
resté
Cet'AMOURne s'éteindra jamais
Toujours,il te suit
Dans cette longue
route de la vie".

Trés touchante cette divagation,mais aussi trés explicite et trés belle...
Je t'embrasse trés fort.
Rosa

24 de jul de 2009 06:13:00  
Anonymous Michèle Christine said...

Meninaaa! Quanta beleza unida..... Tu tens dom especial para, também, divagar. Divagar na realidade; Este teu espaço de amor foi vivido, tu enconstraste o amor quando abriste a porta, por isto teu coração é tão doce e tão singelo. És premiada e abençoada.
Ave Syl! Como é 'transformador' ler coisas belas.
Beijins e obrigada por este encanto. Michèle

28 de jul de 2009 00:58:00  

Postar um comentário

<< Home