quarta-feira, 14 de maio de 2008

« MÃE, PROCUREI... »

Sylvia Cohin

Revirei o baú de nossa história
sem saber muito bem o que queria,
se um poema falando de seu Dia,
ou as rimas pra louvar a sua Glória...

No baú de poeira envelhecido,
tanta coisa impregnada de você,
como pauta dormitando à mercê
de um cantar, relembrando o esquecido...

Na mescla dos guardados encontrei
um amor repartido por igual;
Quanto tempo de um zelo pontual
a dizer com doçura: "só amei"!

O porta-jóias tímido ensaiava
cantigas de ninar que ainda em nós,
ressoam como o tom de sua voz
entre os ralhos e risos que entoava...

Li na pauta de sua melodia
a elegância de seu jeito precioso,
o requinte discreto e operoso
da Lição de ser Mãe e Eucaristia...

Um lenço de cambraia dobradinho
guardava o pranto oculto e amarelado
que nunca foi por nós compartilhado
no quente do seu terno e doce ninho.

Mãe, onde foi buscar este sorriso
que seu rosto ilumina de emoções
e perdura através das gerações,
nesta vida que é sempre um improviso?

Mãe tão sábia, seu Diploma é a Lida.
Sua Escola vale mais que os lauréis
que ostentam por aí os bacharéis,
erguida com o Labor de sua Vida.

A Virtude tem sido o seu Troféu,
sua herança para a posteridade
que nos dá essa Paz de estar no Céu
e ao Viver, o sabor de Eternidade...

SYLVIA COHIN
11 de Maio de 2008

Respeite o Direito Autoral

Marcadores: , , , ,

4 Comments:

Anonymous Maria Luiza Bonini said...

Linda mãe! Nós te reverenciamos! Em nome de todas as outras que tem esse dia lindo, simplesmente passado em branco!
Maria Luiza Bonini
São Paulo - Brasil

15 de mai de 2008 12:30:00  
Anonymous Emília Possídio said...

Maravilha de poesia, Syl!!!!
Um beleza digna da poeta que vc é.
De mãe para mãe,
Emilia Possídio
Recife - Pernambuco - Brasil

15 de mai de 2008 12:35:00  
Anonymous Bety Bayer said...

MEU DEUS, QUE COISA MAIS LINDA.... NÃO CONSEGUI IR ATÉ O FIM POIS AS LÁGRIMAS BROTARAM.........
OBRIGADA E UM GRANDE ABRAÇO NESSA MULHER QUE ESCREVE COISAS MARAVILHOSAS... BEIJOS,
BETY BAYER
São Paulo - Brasil

15 de mai de 2008 12:40:00  
Anonymous Anônimo said...

Linda poesia, querida Sylvia
Eu me senti nos versos
senti que era pra minha mãe e pra todas que já se foram.
beijos
Eliza
Rio de Janeiro
Brasil

16 de jun de 2008 05:11:00  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home