quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

« CARTA AO CORREIO »

Sylvia Cohin

Prezados senhores escrevo
um documento importante
e peço que distribuam
se possível, nesse instante.

Procuro pela alegria
no rosto da minha gente
fartura de pão e roupa
trabalho e comida quente!

Quero encontrar o idoso
que sem viço espera a sorte
do amparo e da saúde,
que afaste o temor da morte...

Procuro a esperança perdida
no rosto do meu irmão...
de tanto lutar na vida,
e ver que foi tudo em vão!

Ao Correio estou pedindo
que ache o pai desempregado,
a mãe que procura o filho,
um “menor abandonado”...

Visite as habitações
na barranca do ribeiro,
na solidão dos grotões,
a palhoça do roceiro...

Dos presídios não esqueça,
bandoleiros... marginais...
leve este alento e não meça,
muitos cá fora são mais...

Quero encontrar esse povo
sem justiça e sem defesa
que acredita no que dizem,
reparte a fome na mesa!

Leve alento aos brasileiros
que da pátria desertaram,
garimpando no estrangeiro,
o ouro que lhes negaram

Espalhe p’ra todo o povo
que o que procuro é banal,
um sonho que não é novo
e pode ser bem real...

Vá à procura do abraço
guardado para o amigo
e desfaça o embaraço
do ressentimento antigo...

Procure por mim as crianças
que na espera temporal,
pedem cheias de esperanças,
o seu sonho de Natal...

Peço que corra, ligeiro,
o ano está a findar
encontre no mundo inteiro,
quem não vai comemorar...

Preciso desses pedidos,
senão, p'ra que tanta festa
se no lar dos esquecidos,
se tem festa... é do que resta!

SYLVIA COHIN
Natal - 2007

Marcadores: ,

5 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Bonito poema, sem dúvida e muito, muito oportuno.
Parabéns
Dionísio

14 de dez de 2007 09:51:00  
Anonymous Rosa said...

Chére Syl
Trés beau et plein de tendresse ce poême.
On denotte dans ce que j'apellerai plutôt,une priére,ta sensibilité,je dirai même ton amour et ton souci du bien-être d'autrui,si caractéristique à toi.
Puisse ta demmande être exaucée,et je me joins à toi pour souhaiter tout ce qu'il a de mieux pour tous sans exception...
Gros bisous...
Rosa

14 de dez de 2007 14:29:00  
Anonymous Ana Suzuki said...

Doloroso, Sylvia.
Mais ainda num país como o Brasil,
que se acostumou a exportar gente,
como se fôssemos um país pequenino, sem riquezas minerais, sem terras cultiváveis, atropelado por vulcões e terremotos. Pobreza
espiritual é pior que pobreza material, né mesmo?

15 de dez de 2007 23:30:00  
Blogger Chave da Poesia said...

Pois é, Ana, exporta o melhor que tem e que dificilmente retorna, já que o brasileiro adapta-se bem em qualquer situação E TRABALHANDO!!!
O resto, já sabemos... Beijo, Syl

16 de dez de 2007 14:30:00  
Anonymous Gloria Guedes said...

Sylvinha, chegou a hora de acreditar num radiante amanhã !
Chegou a época de fazer um balanço de tudo o que aconteceu, de tudo o que nos acompanhou em 2007...
Lindo seu texto e muito real. Tenho uma carta ao correio sua também em meu site. Eu sempre acredito que no ano seguinte será melhor. Portanto, espero que seus pedidos do ano que vem, a lista seja bem menor.
Sylvinha, para você e os seus, um Feliz e abençoado Natal. Muita paz e luz. E em 2008, estaremos juntas novamente, fortalecendo mais essa amizade. Beijos com carinho. Glorinha

20 de dez de 2007 10:02:00  

Postar um comentário

<< Home