quarta-feira, 14 de outubro de 2009

« Trabalho Infantil »

Fernando Peixoto

Tem apenas doze anos o miúdo!
Doze séculos, já, de frustração,
Doze séculos inteiros de absurdo
E poucos, muito poucos de ilusão.

Doze anos num rosto de graúdo
E tantos, já, na luta pelo pão!
Meu menino lindo a quem falta tudo!
Meu menino, meu filho, meu irmão!

Teu corpo frágil move-se na dança
Horripilante dum trabalho duro
C'o a música das máquinas por fundo.

As tuas mãos, pequenas, de criança,
Ganham calos brincando c'o Futuro
Enquanto esperas que melhore o mundo.

FERNANDO PEIXOTO

Marcadores: , ,

6 Comments:

Anonymous Rosa Peixoto said...

Ma trés cher Syl
Par ces deux magnifiques poémes, tu et Fernando, nous démontrent que le pouvoir des poétes ne se limite pas seulement á glorifier lámour(ce qui est trés beau)mais il a aussi le pouvoir de parler oú dénoncer ce qui malheureusement existe encore de nos jours l'ésclavage enfantine.
C'est trés beau et sourtout trés touchant ce que vous avait écrit.
Je t'émbrasse trés,trés fort...
Rosa

15 de out de 2009 05:08:00  
Anonymous Anônimo said...

Terno, como penso, seria o autor. Um beijo para ti. Para o autor, a saudade, como homenagem póstuma.
Kim

15 de out de 2009 11:45:00  
Anonymous Michèle Christine said...

Este poema é uma oração que carrega toda a sensibilidade que Fernando Peixoto tinha para impor rigor nos seus apelos poéticos. Maravilhosa homenagem. Michèle

18 de out de 2009 10:09:00  
Blogger Céci said...

Adorei este poema!

Céci

18 de out de 2009 20:34:00  
Anonymous Anônimo said...

Abençoadas as pessoas e abençoados os fatos que proporcionaram a Fernando Peixoto o quanto fosse de alegria. Porque ser um poeta sensível como ele foi, enxergar as verdades do mundo como ele enxergou, é doloroso demais.
Ana Suzuki

13 de dez de 2009 00:16:00  
Anonymous Anônimo said...

Se o grande Amigo e Poeta Fernando Peixoto estivesse aqui neste Planeta entre nós hoje, constataria como constata do Mundo Incorpóreo que a situação seria pior... é o cronómetrono do FIM DO CICLO a marcar o compasso da humana degradação, NA TRANSIÇÃO para a MUDANÇA... para uma NOVA ERA!

NO ACTO TRANSITÓRIO TODOS LEMBRARÃO AS PALAVRRAS DE DEUS:

A forma de viver sem medo é saber que todos os desfechos na Vida são perfeitos, incluindo o desfecho que mais temem, que é a morte. Deus


Se examinarem de perto a vossa Vida, verão que sempre tiveram aquilo de que necessitaram para chegarem ao momento seguinte. Deus
................

UM NATAL EM TEMPOS DE MUDANÇA

Se no objectivo da Vida está o progresso
Nesta quadra natalícia devemos reflectir
Ao constatamos um grande retrocesso
Com o desemprego em flecha a subir.

O Natal da união familiar em abundância
Já não se integra na nossa realidade actual
Ao contrário notamos cada vez maior carência
Numa crise provocada pelo Capitalismo do Mal!

Rui Pais
09/12/2009
................

PENSAMENTO DE RUI PAIS EM 14/12/2009

Se me perguntassem o que é a Nova Era, responderia: É a libertação da mente de conceitos errados que foram sendo introduzidos no decorrer dos tempos e pelos quais passamos a funcionar, o que nos conduziu ao stress e a todas as doenças e males de hoje incluindo a corrupção nas suas mais diversas formas. É esta mentalidade que nos foi sendo implantada pelo Monopólio Financeiro, o Núcleo gerador do Medo no final do Império Babilónico, que em breve vai a enterrar porque a pirâmide que o mantém de pé reforçada na base sobre a miséria da pobreza desmorona-se como as Torres de Babel… e após uma purificação as Almas regressarão na sua forma original numa Comunidade Espiritual muito mais pura e justa, isto não é morte, é renascimento povo... é preciso activar a consciência da mudança! Rui Pais

Um abraço Amigos Fernando Peixoto e Sylvia Cohin, do amigo de sempre
Rui Emanuel

18 de dez de 2009 21:34:00  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home